Ajeitando o Quarto #1

Que tal aproveitar o ano que vai chegar para dar uma repaginada no seu quarto?

A maioria dos jovens tem quartos que eu chamo de “adaptados”, que são aqueles mesmos quartos de quando eram crianças e foram modificando um móvel ou outro a medida que ia crescendo e amadurecendo.
O que acaba acontecendo é que uma hora você olha ao redor e não consegue ver harmonia entre os móveis, as cores, a decoração…
Hoje nós daremos dicas e exemplos do que você pode fazer em seu quarto para fazê-lo transmitir um pouco mais da sua personalidade.
Lembre-se que não é necessário gastar muito contratando um profissional de design ou comprando móveis e objetos em lojas caras.

Primeiro você deve pensar em “para quê eu uso o meu quarto”, claro que existem pessoas que vão dizer “uso pra tudo, ué!”, mas vamos pensar em partes:
– quem frequenta seu quarto? Só você, seus amigos, sua namorada, etc..
– você usa seu quarto para estudar? (ou você tem um escritório?)
– você joga videogame no seu quarto? (ou você tem uma sala para isso?)
– você toca música ou assiste tv no seu quarto?
– você faz algum tipo de artesanato no quarto ?
– ou então trabalha nele? come nele?

Você deve se fazer essas perguntas, pois além de refletir a personalidade do dono, o quarto deve ser um ambiente confortável e útil para suas atividades e estilo de vida.
Não adianta pegar uma foto de um quarto bonito na revista e apenas copiá-la.

Homens solteiros em geral gostam muito de equipamentos eletrônicos, mas infelizmente apenas a minoria desses equipamentos são sem fio, por isso é necessário ter um planejamento por trás disso para que seu quarto não fique um emaranhado de cabos, fios e nós.
Se você está mudando de casa fica tudo mais fácil, pois você pode pedir que instalem mais tomadas no ambiente para facilitar na hora de escolher e colocar os móveis.

Eu sugiro que escolham móveis de cores neutras, como o preto e o branco, ou então de madeira (ou imitação de madeira), porque com os móveis grandes sendo neutros você pode ousar mais nos objetos decorativos e detalhes, assim haverá menos conflito na harmonia geral.
Você não precisa se livrar da sua coleção de bonecos do Star Wars ou Cavaleiros do Zodíaco ou Simpsons. Você precisa apenas “montar” um local para deixá-los. Esse local pode ser um armário de porta de vidro (assim eles ficam protegidos, mas ainda estão à vista), ou então pode colocá-los em uma prateleira pendurada na parede.
Camas suspensas para deixarem o ambiente maior e mais aproveitável não são infantis, porém (eu, particularmente) não as acho nem um pouco práticas. Imagine chegar em casa super tarde e cansado e ter que subir uma escadinha para poder deitar na cama? Ou então, acordar atrasado e ter que dar (literalmente) um mega salto para chegar ao chão e correr para se arrumar.

Acho que um quarto deve ter basicamente uma cama (claro), uma mesa ou balcão para poder escrever (ou usar o notebook), algum móvel com gavetas e/ou armários (que não seja o seu guarda roupa).
O resto é adaptável, como quadros, bonecos, livros, desenhos, fotos, cds, tv, pc, instrumentos musicais, aparelhos de ginástica, coleções em geral, cortinas, colchas, etc.
Você também pode pintar as paredes com cores diferentes (não estou dizendo para montar um quarto colorido). Você pode fazer listras, pode fazer uma “pintura” com mudanças de tom da cor (no teto a cor é mais clara e chegando perto do chão ela vai ficando mais escura, por exemplo), você pode pintar uma parede de verde e deixar as outras brancas, pode usar um papel de parede, pode apenas fazer uma faixa diferente na parede… isso tudo é questão de gosto.
Se o seu quarto tem uma boa iluminação natural ou é grande, você pode utilizar cores mais escuras nas paredes (ou no teto), porém se seu quarto não tem uma iluminação muito legal ou então for muito pequeno, eu sugiro que opte por cores mais claras. Hoje em dia existem diversos adesivos de parede, isso também é questão de gosto pessoal, mas existem diversos desenhos bacanas no mercado, basta apenas dar uma pesquisada.
Fugir do básico ou do comum é mais legal, mas dá mais trabalho ao mesmo tempo. Você pode optar pintar seu teto de preto, e fazer uma escala de tons de marrom em uma das paredes… legal! Mas então você coloca móveis pretos, o Darth Vader e uma das naves em cima do móvel… aí fica tudo muito misturado, nada tem um destaque legal, e você fica com um quarto pesadão.

Mas tudo, em decoração, é questão de bom senso.
Se você for um cara mais descontraído, que gosta de músicas, recebe um monte de amigos no quarto, você pode (e acho que até deve) brincar um pouco com as cores, com os objetos.. talvez ter uma cadeira com uma cor forte (amarelo, sei lá) em um formato diferente, ou um tapete, um quadro…
Se você for um cara mais reservado, que não costuma receber pessoas no quarto (ou porque não gosta, ou porque tem uma sala para recebê-los, ou por qualquer outro motivo) você pode fazer um quarto mais básico, com a sua tv, seus aparelhos.
Não há diferença entre um quarto mais ousado e outro mais básico desde que haja harmonia e conforto no ambiente. Se for um local muito carregado em cores, em objetos, em bagunça, nem sequer você ficará a vontade dentro dele.

No meu ponto de vista, as paredes são o fator que mais faz diferença em um quarto. Você pode ter os móveis mais básicos ou “sem graças” do mundo, mas se você tem uma parede criativa, ou pintada de um jeito diferente, ou discos pendurados, quadros, ilustrações, pôsteres, etc., seu quarto fica com uma cara totalmente diferente.
Então, minha dica é: se você está sem grana, ou não quer trocar as coisas que você já tem no quarto, dê um ‘trato’ na parede! (e claro, arrume a bagunça).

Prometo fazer um post em breve com dicas para organizar a bagunça nos quartos! O que acham?!
Quem quiser enviar a foto do próprio quarto para nós, sintam-se á vontade! Mandem para o [email protected] e no e-mail informe se poderemos fazer um post comentando sobre a decoração do ambiente (utilizando sua foto, e citando seu nome, claro). Mas já adianto que seremos sinceras e falaremos o que realmente achamos sobre o quarto, lembrando novamente que tuuuudo é questão de gosto!

Deixe uma resposta